Chapinha danifica mesmo os fios??



Cabelo liso é preferência nacional e não tem conversa!
Com o bafafá das escovas progressivas, que garantem três meses de fios lisos sem esforço, muita gente voltou para a duplinha secador + chapinha, que é o tema do post de hoje.
A chapinha sempre gerou controvérsias, já que, teoricamente, ela “queima” os fios.
Mas será que ela causa tantos problemas mesmo? Será que queima os fios? Resseca? Desidrata o cabelo?
Foto Reprodução
Se não tomados os devidos cuidados, a chapinha pode sim estragar os fios, já que, devido a alta temperatura, ela retira a umidade dos fios, o que compromete a hidratação e desidrata o cabelo.
Por isso, quem faz uso constante de constante de chapinha, precisa manter a hidratação em dia, para repor a água perdida e evitar a aparência “espigada”.
Além disso, se usada em uma temperatura muito alta, acima de 180º, pode queimar os fios, assim como se for utilizada com os fios molhados.
O ideal é que a gente lave o cabelo, aplique um produto termoativado, seque com escova e só depois passe a chapinha.
O uso de protetores termoativados é indispensável, pois eles formam uma barreira de proteção que protege o fio do calor da prancha, evitando possíveis danos.
Algumas chapinhas são melhores que outras, mas a análise comparativa entre os tipos existentes ficará para o próximo post, tá?
;*
Fonte: PE

Shampoo é tudo igual?



Até um pouco antes de começar a blogar eu acreditava que shampoo era tudo igual e que o resto era “conversa pra boi dormir“.
Mas não, shampoo não é tudo igual e muitos fazem uma diferença enorme no resultado final.
A função básica de todos os shampoos é higienizar os fios e, por isso, eles contém um tipo específico de detergente ou sabão que limpa a sujeira e retira a oleosidade excessiva. Só que, como cada tipo de cabelo possui necessidades diferentes, os shampoos possuem níveis diversos de detergência.
Dessa forma, shampoo para cabelos oleosos são bem mais agressivos em termos de detergência, pois eles tendem a retirar muito mais as impurezas e a oleosidade do que os shampoos para cabelos secos ou normais.
Foto reprodução

Mas vários outros fatores fazem com que os shampoos sejam diferentes. Um exemplo disso é o pH. O pH do shampoo, para garantir a saúde e beleza dos fios, deve estar entre 5 e 7, aproximadamente. Se o shampoo tiver o pH maior que isso, o cabelo tende a ficar extremamente ressecado, como se observa, por exemplo, nos shampoos anti resíduos, que possuem um pH bem maior do que o indicado.
Existem shampoos hidratantes, reconstrutores, fortalecedores, e muitos outros. E, sim, eles funcionam. Observem que os shampoos hidratantes, que possuem substâncias que eliminam o ressecamento, não deixam os fios ásperos e embaraçados. Ao contrário, é notória sua função condicionante, já que ele possui substâncias, como silicones, que proporcionam esse resultado.
Um exemplo disso é o Shampoo Ultra Hidratante da Truss, pois quem já usou pode observar que ele é completamente diferente dos shampoos normais, pois realmente deixa os fios macios e sem embaraço.
Os shampoos reconstrutores, que quase sempre contém queratina, ajudam a reconstruir a fibra capilar e é óbvio que eles são muito diferentes de shampoos para cabelos oleosos, por exemplo.
Então, se você precisa de hidratação e nutrição, escolha um shampoo mais hidratante, mais pesado. Caso seu cabelo precise de reconstrução, se jogue, mesmooo, nos shampoos reconstrutores, que podem não fazer milagres sozinhos, mas que são bons coadjuvantes.
;**
Fonte: P. das L.

 

Naty - Caprichos de Mulher - Design por Juliana Fonseca
- ecom1 - ecom5